segunda-feira, 17 de maio de 2010

O que NÃO fazer


É o que faltava, além da 'culpa branca' ter sido imposta sobre nós por décadas e os bilhões de nossos bolsos que foram enviados de caridade para o mundo não-Branco atrasado e incompetente, agora até mesmo os 'nossos' estão gastando (moralmente, desviando) dinheiro da Causa Branca para ajudar sub-humanos que tem problemas até mesmo em 'existir'.

A doença Politicamente Correta se espalhando até mesmo aos que foram um dia racialmente conscientes. Tudo na incansável tentativa de se justificar à sociedade doente de que apoiamos o direito de todos os povos de existirem e se preservarem. A Natureza funciona em um ciclo amoral de competição feroz e sobrevivência e não há lugar para parar a evolução da própria espécie pra ajudar outras.


Ler A Causa dos Povos?, de Guillaume Faye

Obs.: A nossa intenção não é fazer pouco do trabalho do inconformista.info, mas um alerta para os outros de volta à sanidade.

Um comentário:

  1. Eu noto uma contradição aqui. Não em termos lógicos, mas com relação à realidade atual.

    Embora ainda haja alguma esperança para a raça branca, ela está caminhando para a extinção. Mesmo que alguns poucos "povos" estejam se extinguindo, em termos de "raça", a grande minoria é a branca. E isso será agravado nas próximas duas décadas.

    Penso que seja justificável o apoio à pequenos povos e que eles existam, uma vez que isso justifica o fundamental conceito de "raça" e "cultura", que você argumenta preservar.

    Eu concordo quando você menciona o funcionamento da natureza (sob "competição feroz e sobrevivência"), contudo é exatamente neste ponto que a raça branca está errando.

    A história, artes e ciência mostraram que a raça branca é de fato superior em diversos aspectos, sendo os mais evidentes sua inteligência e beleza. Todavia, essas que são suas maiores qualidades estão sendo mal-usadas, reagindo de uma forma macro.

    Por exemplo, no pós-guerra, os Estados tradicionalmente arianos se enfraqueceram, o que obrigou seus povos a se reorganizarem socialmente. A primeira e mais drástica modificação se deu na célula-fundamental de qualquer sociedade, que é a família. Famílias diminuíram, enfraqueceram ou se desfizeram. Hoje, quase todos Estados brancos sofrem com falta de população jovem para repor.

    Por outro lado, todas outras raças não-brancas, se proliferaram, agindo de forma burra, sem planejamento, basicamente como animais.

    Outro grave problema está na manutenção da idéia de superioridade do homem branco. A mídia, o ensino subversivo e a própria afirmação de superioridade -- que está se esvaindo -- do homem branco o está levando à ruína.

    O homem branco é o verdadeiro oprimido.

    Enquanto todas as "classes" lutam para si, defendendo a imagem do homem branco como o "vilão histórico" (e aqui remeto à 'culpa branca, que você citou), o homem branco vive oprimido entre a violência "tolerada" dos negros e sob a exploração do sistema de econômico que favorece a elite judaica.

    Porém, o homem branco é forte e sobreviveria à tudo isso. Todavia, as mulheres brancas não tanto.

    As mulheres das duas últimas gerações crescem sobre uma criação de aversão masculina, como se fosse o homem responsável por toda opressão que supostamente a mulher vivia até 50 anos atrás.

    Isso parece fazer elas se identificarem mais com os homens de outras raças (também "oprimidos"), do que com os seus. Isto talvez seja o motivo de encontrarmos muito mais mulheres brancas tolerantes à relacionamentos inter-raciais, do que homens brancos.

    Observo que os defensores das causas brancas são em sua esmagadora maioria homens. Todavia, não se faz uma raça sem sexo. O que NÃO se deve fazer é ignorar as mulheres, sendo que torná-las mais sectárias nas causas brancas será fundamental nas próximas duas décadas. Sem isso, nem solidariedade dos "futuros povos" vai salvar A Raça.

    ResponderExcluir