sábado, 3 de abril de 2010

Nossos Inimigos Históricos

Em tempos de extrema dificuldade, perseguição e enorme frustração como os nossos, é comum tomar decisões precipitadas ou interpretar as coisas um pouco diferente de como realmente são. Uma das mais perigosas é tomar inimigos como amigos. Esse é o caso do nosso inimigo histórico: o Islã.

O Islã invadiu, conquistou, dominou e oprimiu a Espanha e Portugal por quase oitocentos anos; tentou invadir a França, mas foram derrotados pelo excepcional Charles Martel; invadiram e dominaram a Sicília por cem anos; o domínio turco-otomano na Albânia ilírica Branca durou quinhentos anos e acabou por abandonar esse pobre país como um resto miscigenado e primitivo que é até hoje; durante o mesmo controle sobre os Balkans, conseguiram render e converter os traidores raciais que hoje são os bosniaks, literalmente criando uma nova nacionalidade muçulmana e leal ao Islã no coração da Europa, a lista continua: Grécia por quase quatrocentos anos, Bulgária e Macedônia, quinhentos anos, Sérvia, 264 anos.

Esses são nossos ALIADOS? Essa é a “justa, honrada, pacífica e tolerante” religião islâmica? Hoje eles estão contra os EUA por que são contra o expansionismo e imperialismo? Vou repetir a pergunta: Muçulmanos são contra o imperialismo? Ou é porque eles não cedem um pedaço de deserto em que nada cresce e que não representa nem mesmo 1% das terras dominadas pelo Islã megalomaníaco, conquistador e extremamente intolerante? Não é como se esse fosse o nosso primeiro contato com os muçulmanos. Depois os pseudo-intelectuais adoram falar que os ignorantes políticos é que não possuem memória histórica.

A Reconquista da Espanha e Portugal de 1492 ainda é hoje um dos maiores exemplos e símbolos da retomada de nossas terras e destino das mãos de invasores e parasitas. Logo depois disso, a princesa Isabela da Espanha expulsou os judeus e árabes da península ibérica. Os gregos, sérvios, croatas, macedônios, húngaros, romenos e búlgaros foram os defensores dos portões da Europa contra hordas de invasores muçulmanos por séculos. SÉCULOS!


Não seja levado pela ilusão de que por serem inimigos dos Judeus, eles são nossos amigos, pois não são. Nem mesmo um pouco. Quando entrar na tentação de apoiar o Irã e seu ditador, ou mesmo os palestinos, pense o seguinte: Entre lidar com uma religião militante, chauvinista e dominadora armada com alguns milhares (ou milhões) de cabeça de toalha com AK-47 e armas nucleares dispostos a se explodirem por 3 dúzias de virgens no paraíso vs. algumas centenas de jornalistas, banqueiros e a diretores de Hollywood covardes, qual representa a maior ameaça?

Como diz Tom Metzger, se você traz um leão para caçar um cachorro, quem vai domar o leão depois que ele comer a entrada do jantar?

Viva 1492! Viva os Sérvios! Viva Filiki Eteria! Viva Vlad III!

2 comentários:

  1. Parabéns pelo artigo, está corretíssimo em seu raciocínio.

    ResponderExcluir
  2. Só acredito que os judeus, apesar de serem mais covardes e usarem de métodos menos honrados, ainda pode ser os mais ameaçadores. Seus métodos de dominação são mais capciosos para se compreender e levantar uma resistência do que a força bruta que é facilmente reconhecível e propícia a receber oposição.

    ResponderExcluir