quarta-feira, 31 de março de 2010

Ernst Niekisch: Política Revolucionária e Luta Aberta

Uma declaração de Ernst Niekisch dos anos 20 que se faz muito útil e atual hoje.

Ninguém, a não ser um demente, pode pensar atualmente em uma luta aberta. Para isso são necessários meios materiais que não estão disponíveis no momento. Mas, além disso, também é necessária uma posição favorável dentro do cenário geopolítico, que atualmente não nos é permitida. Assim, cabe-nos um pouco de paciência. Mas não nos convém a paciencia da inatividade, do adormecimento e da desmoralização interior. Nós temos muito trabalho de preparação espiritual, organizacional e de muitos outros tipos. A questão é: se conseguiremos a energia, se resistiremos e nos manteremos firmes, e se não resignaremos ao nosso destino e não recuaremos frente à realidade. Somos fortes e duros o suficiente para reafirmamos nossa causa, nossas convicções e nosso futuro frente a um mundo hostil e extremamente poderoso, mesmo quando isso possa parecer tonto, ridículo, impossível e nada rentável? Podemos enfrentar a avalanche de estrangeiros obstinados, em sua vitória e agora, a segurar ao que conseguiram mediante ao uso da força e intoleráveis abusos de poder, com uma resistência inquebrável e uma inabalável vontade de lutar? Pense em ambas as questões atentamente e incansavelmente, e nós faremos com que o desaparecimento do nosso povo seja apenas uma época obscura da qual conseguiremos sair.


Traduzido de Ernst Niekisch - Política Revolucionária

Hitlerismo & Strasserismo

Adolf Hitler & Gregor Strasser

Poucos negariam que Hitlerismo - isto é, a expressão única de Nacional-Socialismo estabelecida por Adolf Hitler- seja a mais proeminente variação de Nacional-Socialismo na história. Antes de eu explicar as características distintivas de NS Hitleriano, irei brevemente descrever as origens do NSDAP e a associação de Hitler com o Partido.

Anton Drexler, que se identificava como socialista, fundou o Partido dos Socialistas Alemães (DAP) em 1919, no princípio de estabelecer um partido que também fosse de natureza nacionalista. Depois de certa hesitação, e de ler e aprovar o panfleto de Drexler 'Meu Despertar Político', Adolf Hitler entrou para o Partido, em setembro de 1919, tornando-se o 55º membro e o 7º membro do comitê executivo do Partido.

Logo depois disso, Hitler sugeriu que mudassem o nome do Partido para Partido Social Revolucionário, mas, em fevereiro de 1920, o Partido dos Trabalhadores Alemães mudou seu nome para Partido Nacional-Socialista dos Trabalhadores Alemães. Em 1921, Adolf Hitler basicamente tornou-se o líder indisputável do partido, e em 1923, Drexler havia resignado do NSDAP.

HITLERISMO distingue-se por um número de características:

*Führerprinzip
: Basicamente, a vontade política da nação é incorporada no Führer, abolindo a maioria das formas de democracia. (NdT: Independente das intenções ou ética do líder, ele continua sendo capaz e no direito de fazer o que bem entender. Essas são a característica de uma ditadura totalitária, independentemente do nível de apoio popular).

*Pan-Germanismo: A noção de que todas as pessoas de ascendência germânica deveriam ser unificadas sob um Reich Alemão.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Uma imagem vale mais do que mil palavras


Raça Física, Espiritual e Julius Evola

Um dos escritores Racistas mais provocativos e, intencionalmente, provocadores fala sobre a realidade de que Raça só existe espiritualmente se existir, primeiramente, fisicamente. O que é algo tão óbvio que não deveria nem falar-se sobre, mas, ao mesmo tempo, graças à Evola Fashion, trata-se de um assunto crucialmente necessário.

Nota: Provavelmente ninguém, além do próprio Constantin, concorda com todas as suas extremamente controversas posições e opiniões sobre o mundo, então não tente nos culpar por associação.

Racial Bolchevismo
Por Constantin von Hoffmeister

Julius Evola não é um modelo para pessoas sérias quando trata-se de preservar a Raça Branca. Se deseja-se salvar a Raça Branca, é necessário adotar um ponto de vista sólido e materialista. Apenas através da aplicação de princípios materialistas a Raça pode ser salva. Materialismo dita que a espiritualidade vem da matéria. Ambas as noções de Evola e Francis Parker Yockey de “raça espiritual” são uma contradição em si próprias, já que raça é uma questão de matéria, e não de espírito. Uma raça pode possuir um nível mais alto ou mais baixo de espiritualidade, mas isso não muda sua composição física. Espiritualidade é um resultado direto da atividade do cérebro, que, por sua vez, é parte de um organismo que varia de acordo com a raça da qual pertence. Que bem faz se vários não-Brancos possuem “qualidades Arianas” (seja lá o que isso significa), mas são incapazes de repassá-las sem poluir o sangue europeu? A noção de “raça espiritual” é abstrata e sem significado, senão for simplesmente hostil aos esforços de preservação européia. Assim sendo, Dr. HT Hansen (que escreveu a introdução de Homem Entre Ruínas, de Julius Evola) está certo quando diz que Evola promove um certo tipo de anti-racismo através de suas peculiares teorias “raciais”. Na verdade, Evola não aparenta ser interessado em qualquer teoria racista em si, mas apenas em formular desnecessários e ofuscantes conceitos de aristocracia que utilizam raça como pretexto, mas na verdade está mais preocupado com questões essencialmente universalistas de hierarquia. Evola é um humanista universal porque suas teorias postulam que uma “raça espiritual” esteja aberta a todos os membros da “humanidade”. Não devemos esquecer que essa suposta comunidade global já foi descreditada (devido à sua não-existência) por pensadores racistas sérios.

sábado, 27 de março de 2010

O Socialismo Branco de Jack London

Alguns trechos retirados e traduzidos de diferentes obras de Jack London, todos publicados na primeira década do século XX, sobre a Raça Branca e Socialismo. Ah... se nossos professores tivessem nos dito que o autor de Caninos Brancos era um dos pioneiros do Socialismo Racial americano...

“Nós somos uma raça energética e de lutadores, de dominadores do mundo e conquistadores de territórios... Enquanto somos persistentes e resistentes, somos feitos desta maneira para que nos adaptemos às condições mais diversas. Irá jamais o Índio, o Negro, o Mongol conquistar o Teutão? Com certeza não! O Índio tem persistência sem variabilidade; se ele não se modificar, ele morre, e se ele tentar se modificar, ele morre da mesma maneira. O Negro tem a adaptabilidade, mas ele é servil e deve ser comandado. Quanto ao Chinês, eles são permanentes. Tudo que as outras raças não são, o Branco é. Tudo que as outras raças não tem, o Branco tem.”

Retirado de A Daughter of the Snows (1902)

Resistência Autônoma


A White International

Dado o completo fracasso do chamado "Movimento Racialista", que demonstra ser incapaz de produzir quaisquer resultados no campo político, social e econômico, que permitam o surgimento de um genuíno Movimento de massas, e que por sua vez impusesse um travão ao crescente genocídio cultural e racial no nosso país, torna-se explicito que a nossa verdadeira esperança reside na coragem de pessoas que ajam em pequenas células. Isto chama-se Resistência Autônoma. Desta forma urge dar a conhecer alguns conselhos para os Lobos Solitários que decidam atuar em prol da nossa sobrevivência como povo.

1. CRIAÇÃO DE CÉLULAS realmente restritas, não devendo cada célula exceder quatro ou, no máximo, cinco elementos, voluntariamente associados e que partilhem uma extrema confiança mútua. E preciso ter isto presente; o que dois indivíduos sabem, um deles pode contar. Como tal, é de vital importância que os envolvidos não digam rigorosamente nada a ninguém sobre o que se fez ou sobre o que se planeja fazer. Não contar à esposa/namorada, aos pais, aos amigos, a ninguém. Não tomar notas nem deixar absolutamente nada escritos (diários, agendas ou qualquer coisa do gênero). Agir naturalmente junto dos vizinhos, mas evitar ao máximo a possibilidade de que estes conheçam as suas idéias e opiniões ou o que fazem ou deixam de fazer. Esqueça o papo de “orgulho do ideal”, isso é coisa de pré-adolescente idealista influenciado, em tempos como os nossos, o indivíduo e a Causa terão muito mais a ganhar se o inimigo racial te considerar como um amigo e não conhecer suas verdadeiras motivações.
QUEM NÃO CONHECE NÃO PODE FALAR!

Blocco Studentesco: Infiltração & Agitação Revolucionária no Movimento Estudantil


A White International

No século XIX, um grupo de intelectuais socialistas utópicos chegou a conclusão de que a melhor maneira de realizar a revolução social seria através da infiltração na própria sociedade, à fim de provocar sua mudança por dentro. Esse grupo se auto-denominava Socialistas Fabianos. Em contraste com os movimentos populares de sindicatos trabalhadores e agitação antiburguesa marxistas, eles acreditavam que transição do capitalismo para o socialismo aconteceria com pequenas reformas na sociedade. Esses grupos tentaram difundir suas idéias em qualquer círculo intelectual que conseguissem se infiltrar, principalmente as instituições de ensino: escolas e universidades.

Hoje não é nenhum segredo de que em diversos países do mundo, incluindo o Brasil e a América Latina inteira, grande parte do círculo de ‘mestres’ são marxistas traiçoeiros e inescrupulosos. Desde nossa infância, eles, sem remorso algum, incansavelmente, enfiam minhocas, falácias & mentiras em nossas cabeças, principalmente no Brasil, aonde desejam atingir suas ditas ‘revoluções do proletariado’ através de um sentimento anti-Branco em contraste com os EUA anglo-saxão, inventando todo tipo de canalhisses sobre o nosso próprio passado. Esses mesmos marxistas usaram como tática a infiltração no ensino para impulsionar e provocar a criação de tendências e idéias comunistas, ou "vermelhas", nos estudantes, fazendo dos campus e ginásios verdadeiros centros de doutrinação e organização política. Não há como negar o significado dessa influência e de como, até hoje, as instituições educacionais estão profundamente enraízadas em política militante, de maioria marxista-leninista. E ainda mais importante e o ponto principal deste artigo: A influência dessas idéias nos estudantes, as ações, o impacto causado e controvérsia dos grêmios e associações universitárias e quem esses mesmos estudantes vieram a se tornar.

Olhar para os movimentos estudantis, principalmente da segunda metade do século XX em diante, é olhar para movimentos dinâmicos, jovens e de caráter revolucionário. As revoltas na França de 1968 são um grande exemplo histórico desse potencial. Eficazes ou não, de bom senso ou mera agitação nascida do tédio da sociedade moderna, não há como negar a energia e dedicação desses movimentos.

O Sindicalismo Revolucionário de Sorel

Um pouco sobre o 'mito social' e metafísica sindicalista de Georges Sorel, o padrinho do Fascismo italiano.


"A leitura de Henri Bergson o havia convencido de que a história é impulsa por movimentos espontâneos que surgem das massas. São esses movimentos que criam os novos valores morais e os que reimpulsam o processo histórico (...) O movimento sindicalista na França era para ele a manifestação autêntica do proletariado revolucionário. Aconselhava aos sindicatos separarem-se do mundo corrupto de políticos e intelectuais burgueses, para trabalharem em silêncio em criar os valores e instituições do futuro. O proletário deveria emancipar-se de todos aqueles que sofriam injustiças."

"Observava no sindicalismo, um movimento revolucionário, algo idêntico ao cristianismo primitivo. Era motivado, como todo grande movimento, 'por um mito revolucionário'. O mito havia nascido dos amores, dos medos e ódios do grupo. Seus membros viam a si próprios como um exército da verdade lutando contra um exército do mal. O mito do proletariado era o da greve geral, uma visão apocalíptica do dia em que o detestado regime burguês seria destruído. Sorel via no sindicalismo uma elite, mas apenas os trabalhadores mais militantes eram sindicalistas. A técnica do movimento era a violência, a rejeição a comprometer-se com palavras, mas com atos. Acreditava-se que os anarquistas, no movimento sindicalista, haviam ensinado aos trabalhadores a não sentirem vergonha de serem violentos. A luta de classes tinha o mesmo valor moral que a guerra entre nações. Incluindo alguns atos criminais que eram justos se fossem claras expressões da luta de classes. O sindicalismo, como ordem revolucionária, estava impulso por uma moral. Surgia da revolução uma nova escola de valores, que daria lugar à perfeição do maquinismo e a melhoria na produção. A organização da sociedade sindicalista seria determinada pelas necessidades da produção; o sindicalismo seria uma 'sociedade de produtores'. A técnica da nova ordem seria uma 'sociedade de heróis', heróis da produção."

Traduzido por A White International, do livreto "Las Raices del Fascismo Italiano: Sorel y el Sorelismo", escrito e editado pela Alternativa Europea. Ano ?

sábado, 20 de março de 2010

De 'Boa Cidadania' à Total Revolução, por James Mason

O Longo Caminho que Percorremos

James Mason

A distância que percorremos na última década pode ser medida apenas em termos de anos-luz. Quão longe, depois de tudo, estamos de quando o Comandante Rockwell expressou o ideal de 'República Consitucionalista Americana' à 'Helter Skelter'? De 'boa cidadania' e conformismo à total marginalização do Sistema e total revolução? Do julgamento e execução de alguns milhares de traidores de lugares altos ao afogamento em sangue de inteiros segmentos sociais e genéticos da população? Do antigo slogan do American Nazi Party, 'Homem Branco, Una-te A Nós, ou Saia do Caminho!', ao ponto em que não há inocentes, nenhum não-combatente?

Considere o quão longe percorremos dos dias em que as discussões revolviam-se sobre o que iria acontecer depois que nossa ordeira e legal tomada do poder, legitimada pelo povo, até hoje, em que duas escolas de pensamento prevalecem: Se uma guerra destruirá o Sistema ou se ele colidirá sobre seu próprio peso podre. Independentemente de como, o resultado será o mesmo. Aqueles que sobreviverem ao período inicial de caos absoluto que ocorrerá irão se arrastar para fora de seus buracos e assumir a luta em novos termos igualados: Animal contra animal.

Download de Siege, de James Mason (Inglês)

Mais artigos de Mason disponíveis em português em Terror Político

Jamais fale com a polícia

sexta-feira, 19 de março de 2010

Nacional-Socialismo: Um Movimento de Esquerda?

Apesar da A.W.I. preferir o termo 'Racista', além de qualquer definição política de direita, esquerda, ou a bagunça de Nova-Direita, Nova-Esquerda e Terceira Posição (usada pelos mesmos indivíduos), esse trabalho em questão é interessantíssimo, corajoso & original - e já merecia ter tido uma tradução para o português.

Vale relembrar que pouquíssimos dos indivíduos, grupos ou partidos que tomaram o “lado racial” da vida e que realmente conhecem a questão racial ou NS consideraram-se “de direita”. Esse termo, quando referido a nós, tomou forma em ataques dos Vermelhos, que não possuem o menor conhecimento sobre a questão, ou da judimídia. E, infelizmente, graças a alguns músicos de R.A.C. que estavam mais interessados em uma estética e posição “do-contra”, ao invés de política racial em si.


Sem mais:


Nacional-Socialismo: Um Movimento de Esquerda
(1984)

Povl Heinrich Riis-Knudsen

Tradução: A White International

Por muito tempo, tem sido enormemente aceito que Nacional-Socialistas são direitistas extremistas, e poucas vezes hesitamos a nos referirmos desta maneira. Até um certo ponto, foi a política oficial da World Union of National Socialists evitar o termo "direita", declarando que Nacional-Socialismo não se encaixa nos padrões de "esquerda" e "direita", mas, ao invés, deveria ser considerado acima dessas distinções. Isso foi, com certeza, um passo na direção correta, mas, nesse momento, dentro o contexto da luta atual talvez seja uma boa idéia reconsiderar toda a questão da posição política e esclarecer alguns pontos sobre os termos "direita" e "esquerda" e suas aplicações no cenário político de hoje.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Piratismo Racista


A White International

Download em .pdf

A maior parte da Luta Racial hoje continua a nadar contra a corrente do tempo e da adaptação e a afogar-se em um mar de jargões & “códigos de honra & conduta” totalmente castrados & impotentes. A velha estética e “moral” sendo vestida, revestida, travestida e já esfarelando-se aos pedaços de tão desgastada. A postura militar, adotada voluntariamente, por soldadinhos de chumbo fetichistas, não tem surtido muito efeito no Sistema, e isso não é nenhuma surpresa, já que continua chorando por “métodos honrados” TOTALMENTE PREVISÍVEIS em uma luta contra os inimigos mais desonrados & inescrupulosos de todos!

Como faremos a Causa decolar de uma vez e ir para frente? Que há muito papo e pouca ação não é novidade, mas e quando o problema é que até mesmo o papo & as idéias são fracas e decepcionantes? Nós somos a maior oposição ao Sistema, nós somos os mais radicais – rebeldia pura. Essa é a única “estética” que precisamos. Um espelho de ponta cabeça para o Big Brother, o Sistema do avesso.

Olhe para os coelhos-humanos do PeTA ou da Animal Liberation Front, até mesmo eles estão utilizando de métodos mais extremos & radicais do que nós. Enquanto alguns de nós recitam poesia ou arrotam nostalgia militar, os papa-alface da ALF não pensam duas vezes antes de mandar um laboratório de milhões de dólares para os ares, ou um segurança “dessa pra melhor”, num esforço mais-que-humano de organização e planejamento calculosos para salvar um vira-lata ou um hamster.

O que iremos discutir aqui anda lado a lado com o, já conhecido, conceito de Lobo Solitário. E vai muito além de táticas empregadas, trata-se, para começar, de uma mentalidade, uma maneira de pensar e enxergar as coisas. Estamos falando, obviamente, de:

Pirataria Racial ou Piratismo Racista

Louis Beam: Resistência Sem-Líder

Louis Beam, ao lado dos sobreviventes da The Order, tomou parte no segundo, e um dos dois únicos, julgamentos por sedição, nos Estados Unidos. Perante ao juiz, ele declarou,

'Senhor, do que estão me acusando (conspiração sediciosa) é uma honra,' e logo depois disso, disse 'Ao inferno com o Governo Federal. Eu acho que a ZOG sofreu uma grande derrota hoje. Eu acho que todo mundo conseguiu perceber essa farsa e ver que eu estava apenas sendo punido por ser um feroz e aberto oponente da ZOG.'

Louis Beam foi o primeiro a promover a dissolução de organizações e o conceito de Resistência Sem-Líder na Causa Racial, nos Estados Unidos. Um inovador e um verdadeiro Lobo Solitário.

"É um fato que, em grande parte, essa luta está rapidamente se transformando em uma questão de ação individual, cada participante tomando decisões privadas no silêncio de seu coração para resistir: Resistir por quaisquer meios necessesários. É difícil saber o que os outros farão, pois nenhum homem realmente conhece o coração de outro homem. Um grande professor disse uma vez 'conhece-te a ti mesmo.' Poucos homens realmente conhecem, mas deixe cada um de nós prometermos a nós mesmos que não caminharemos calmamente ao destino que nossos mestres planejaram para nós".

Download de Leaderless Resistance

Lobo Solitário: O Poder do Indivíduo

Enquanto qualquer organização pode ser infiltrada, ter seus membros expostos, suas ações monitoradas, cair em uma cilada do Sistema, um indivíduo jamais. Um indivíduo, motivado e confiante, não precisa contar ou confiar em ninguém além de si próprio e suas ferramentas. Um indivíduo não precisa de regras ou de uma estrutura hierárquica, e quando não tem nada a perder, está livre para fazer o que desejar. O revolucionário determinado está preparado para agir firmemente e sozinho.

Retirado de Terror Político

Kampfzeit: Os Tempos de Luta, 1920


A primeira foto conhecida da Blutfahne, tirada em Tegernsee, Baviera, em 1920, um anos após a fundação do Partido.

Kampfzeit, ou Tempos de Luta, é como os Nacional-Socialistas alemães nomearam o período de conquista ao poder, de sua fundação, como DAP (Deutscher Arbeiterpartei), em 1919, até a subida de Hitler ao poder, em 1933.

A seguir, vai um um pedaço de Nacional-Socialismo radical e original, um trecho selecionado dos 25 Pontos do NSDAP, adaptados dos austríacos e redigidos por Adolf Hitler, Gottfried Feder, Anton Drexler e Dietrich Eckart e proclamados oficialmente em 24 de fevereiro, de 1920, em Munique:

“Por isso exigimos:

11. A abolição do dinheiro obtido sem trabalho e sem esforço.

12. Em vista dos enormes sacrifícios de bens que toda guerra exige do Povo, o enriquecimento pessoal na guerra deve ser qualificado como crime contra o Povo. Exigimos, portanto, o confisco de todos os lucros de guerra.

13. Exigimos a nacionalização de todas as empresas monopolistas.

14. Exigimos a participação nos lucros das grandes empresas.

15. Exigimos uma ampliação generosa da assistência social aos idosos

17. Exigimos uma reforma agrária adaptada às nossas necessidades nacionais; a criação de uma lei para a expropriação gratuita de terras para fins de bem comum. Abolição do interesse agrário e impossibilitar toda especulação com a terra.

18. Exigimos a luta implacável contra aqueles que com sua atividade prejudicam o interesse comum. Os criminosos do povo, os gananciosos, os especuladores, etc. serão punidos com a pena de morte, sem distinção por sua religião ou raça.

19. Exigimos a substituição do direito romano que serve a ordem mundial materialista por um Direito Comunitário alemão

(...)

O Interesse comum vem antes do interesse particular!”

90 anos depois

Quando você está contra o Sistema...

Cinema Social Realista Branco

A WHITE INTERNATIONAL

O Realismo Social é um movimento artístico que tenta demonstrar a injustiça social e dificuldades econômicas da Classe Trabalhadora, geralmente apresentando como heróica e corajosa.

Diferentemente de como geralmente acontece, não iremos falar sobre o Realismo Social Sub-Humano Politicamente Correto e liberal, de longe a tendência mais popular. Ao invés de lamentações pelo atraso e primitivismo das outras raças, falaremos sobre Realismo Social BRANCO, e a luta dos trabalhadores Brancos contra as grandes corporações & o capitalismo explorador.

Os três filmes em questão se tratam da luta social Branca anti-capitalista, nos Estados Unidos, entre os anos 1870 até, o que aparenta ser o desaparecimento de Jimmy Hoffa, em 1975.

Molly Maquires (1970), dirigido por Martin Ritt. O filme retrata uma sociedade semi-secreta, que carrega o mesmo nome do filme, de irlandeses católicos que trabalhavam nas minas de carvão, na Pensilvânia, que eram abusados e explorados por seus patrões e decidiram dar o troco através de... sabotagem! O filme é com Sean Connery e tem uma atmosfera de classe trabalhadora pós-guerra civil bem legal e foca nas atividades dos Mollies e de um espião da polícia em sua missão de destruir a organização por dentro. Uma lição para nós hoje, de que desde aquela época, o Sistema infiltrava-se e sabotava os sabotadores. Nota-se que, devido à época de produção, não tentaram enfiar algum estrangeiro racial fora do contexto histórico, o filme é 100% Branco.
(Trailer / Torrent)

quarta-feira, 17 de março de 2010

Cartoons

Desde os anos vinte do século passado, a Cristinsanidade tem sido um tabu na Luta Racial. O fato é que os conselhos cristãos, generosamente nos oferecidos no Novo Testamento, são a receita perfeita para o suicídio. Qualquer pessoa que os seguisse (ame seus inimigos, dê-lhe a outra face, não julgue o próximo para não ser julgado, somos todos iguais, etc.) estaria morta ou mendigando nas ruas. Vamos deixar a religião semita do deserto para quem lhes pertence: Semitas do deserto.

Cartoons e humor são um dos melhores tipos de propaganda, pois apresentam a verdade de maneira não-tediosa e não-científica, o que é um método muito efetivo e interessante.

Estes foram publicados no jornal Racial Loyalty, de Ben Klassen, e retirados do site Solar General.

(Clique nas imagens para ampliá-las.)


Por Que Nós Queremos o Caos?

Esse artigo foi escrito originalmente pela A.W.I./V88 Staff, em 2006. Ele é escrito em um estilo bem diferente e racialmente não-ortodóxo e não, necessariamente, reflete todas nossas posições & opiniões atuais. A intenção era disseminá-lo entre os Anarquistas, como uma vaga tentativa de 'entrismo.' Ele foi publicado apenas no site Mídia Independente e foi imediatamente removido e colocado no limbo de artigos Politicamente Incorretos não aprovados pelos Anarco-Chicletinhos & Comunegros. Ele vale mais como uma curiosidade, então, por favor, não levem tudo a sério. Perdoem os erros de gramática.

Por Que Nós Queremos o Caos?
por Ordem do Caos


Nós queremos o Caos porque a atual situação é nojenta. Nós queremos o Caos porque o Caos é a única alternativa para o fim de uma era totalmente decadente. O Mundo Moderno é o resumo de toda a decadência e falsos valores de todas as eras em uma só. O Mundo Moderno é o produto da total exploração capitalistas de séculos de história humana.

O mundo se tornou um grande pedaço de terra cheia de animais racionais que realizam trabalhos mecanizados e alienadores sem direitos, sem nenhum respeito pelo bem estar físico e mental dos operários, a fim apenas de criar uma produção em série de produtos que são comerciados para o enriquecimento de patrões que se preocupam mais com a conta bancária do que com as pessoas.

Social & Radical

A White International
Retirado de Terror Político

Nós estamos do lado da classe trabalhadora Branca, do começo ao fim. Independente de país, continente ou nação. É um fato histórico que, quando a m&*da bater no ventilador, voar pra todo lado e a ordem social começar a desabar em caos total, serão as massas – guiadas por desespero econômico e revolta instintiva – que irão atacar o Big Brother e, se bem direcionadas, expulsar nossos inimigos biológicos de nossas terras de uma vez por todas. Essa é uma luta pelo Trabalhador Branco, e isso é algo que fazemos questão de deixar claro.

Como será aprofundado futuramente, nós somos pelo colapso do Sistema atual, portanto, a hora em que comandaremos e regularemos o nosso próprio destino não é um futuro tão cedo, mas deixemos claro que somos a favor de uma economia a serviço do povo, e não de um povo a serviço de engordar ainda mais os gatos, já gordos, que nos controlam & escravizam hoje. Uma economia de consumo & subsistência em primeiro lugar, e não um sistema de exploração, exportação & capitalismo – como a economia soviética ou chinesa de capitalismo estatal ou a Ordem Mundial Judaica de hoje.Estamos, ou deveríamos estar, em uma posição de solidariedade para com a nossa própria classe operária Branca que, pelo mundo inteiro, tem sua qualidade de vida diminuindo a cada ano para competir com a mão-de-obra baratíssima de imigrantes das selvas & desertos, que estão dispostos a trabalhar por migalhas, que são importados aos milhões para nossas terras por políticos & corporações que, no fim, querem escravizar a nós todos. Onde está a vida digna de Arianos que nos foi traída e vendida por aqueles que deveriam representar os nossos interesses?

A Causa dos Povos?, de Guillaume Faye


Guillaume Faye foi um dos papas doutrinadores da "Nova Direita" francesa, nos anos setenta. Hoje ele denúncia as baboseiras e contradições da mesma, a qual, com a tentativa de recuar ante os ataques do Big Brother e acusações de racismo, continua a se enroscar e afogar nos próprios conceitos e joguinhos de palavras, na intenção frustrada de adaptar-se ao doentio e cunfuso "senso comum" da Sociedade da Terra Plana em que vivemos.

Apesar de não tão evidente nesse artigo, em particular, diferentemente da tendência européia covarde de renegar, em suas publicações e em público, uma defesa da Raça Branca inteira, Faye defende uma união entre todos os Brancos do mundo - pan-Arianismo.

Destaques em negrito são nossos.


Guillaume Faye, revista “Terre et Peuple” nº18

A «causa dos povos» [do GRECE] é um slogan ambíguo. Foi inicialmente concebido num espírito politeísta para defender a heterogeneidade etnocultural mas desde então tem sido reclamado por ideologias igualitaristas e defensoras dos direitos humanos que enquanto exaltam uma ordem mundial utópica tentam culpabilizar os europeus por terem vitimado o terceiro mundo.

Falhanço de uma estratégia

Quando os identitários [do estilo do GRECE] tomaram a defesa da «causa dos povos» no início da década de 80, fizeram-no em nome do etnopluralismo. Esta causa, contudo, era pouco mais que uma artimanha retórica para justificar o direito dos povos europeus a preservarem a sua identidade num sistema mundial que pretendia transformar toda a gente em “americanos”. Ao resistir às forças de descaracterização cultural era esperado que os europeus, tal como os cidadãos do terceiro mundo, mantivessem o direito à sua diferença, fazendo-o sem terem de sofrer a acusação de racismo. Como tal o slogan assumia que toda a gente, inclusive os brancos, possuíam esse direito. No entanto assim que este argumento foi utilizado o cosmopolita Taguieff [um estudioso da extrema-direita], começou a referir-se a ele como «racismo diferencialista» [no sentido em que a diferença cultural e não a cor da pele se tornava o critério de exclusão].

Em retrospectiva, a estratégia da «Nova Direita» parece uma completa invenção, pois a «causa dos povos», o «direito à diferença», e o etnopluralismo foram todos virados contra os identitários. Mais, é irrelevante para a presente condição da Europa, ameaçada que está por uma invasão massiva de não europeus e por um Islão conquistador ajudados pelas nossas elites etnomasoquistas.

terça-feira, 16 de março de 2010

E-Book "Terror Político"



[ex] Valhalla 88 & [ex] Ação Nacional-Socialista Apresentam:
E-book "Terror Político: Racismo Revolucionário"

ÍNDICE

A White International
- Racismo Revolucionário
- Prefácio: Origens do Racismo Revolucionário

TOM METZGER
- Tributo a Joseph Tommasi

JOSEPH TOMMASI
- Estratégia para Revolução
- Construindo o Partido Revolucionário
- Fatos a Serem Considerados

JAMES MASON
- Revolução Estilo Joseph Tommasi
- Nossas Razões para Serms NSLF
- O Exército de Um-Homem-Só da NSLF
- O Denominador Revolucionário Comum

TOM METZGER (II)
- Leis do Lobo Solitário
- Lobo Solitário e a Estrutura de Células
- Tom Metzger & Anarquismo

A.W.I. (II)
- CONSIDERAÇÕES & ORIENTAÇÕES FINAIS: Um Chamado Para a Realidade
- Testamento: Valhalla 88 & Ação Nacional-Socialista

APÊNDICE
- Catequismo Revolucionário, de Sergei Nechaev
- Nada a Declarar, de [Ex] ANS – Segunda Edição
- Apelo & Recomendações



Download Mediafire
Download Megaupload

Alex Curtis: Lobos Solitários uivando para a lua

Alex Curtis conseguiu se tornar uma das pessoas mais notórias e radicais na Luta Racial. Ao lado de Metzger, foi, provavelmente, o segundo, senão primeiro, maior defensor e promotor do método Lobo Solitário, em contraste com as organizações de membros vigentes. Suas opiniões e meios maquiavélicos superaram as mais extremas já lidas e escutadas. Falando abertamente, e quase limitando-se, sobre violência, sabotagem, sedição, execuções e extermínio. Então apresentamos, pela primeira vez em português e, nesse exato momento, atrás das grades, o infame Alex Curtis:



Se (Des)Organizando
por Alex Curtis
Tradução: A White International

Muitos dos nossos leitores dizem que "nós ainda podemos recuperar o país" através da "organização." Sinto muito, mas eu não acredito nisso nem mesmo por um segundo. Considere que o grande Skorzeny percebeu que suas unidades Wehrwolf, mesmo limitadas a times de cinco homens, não conseguiam operar sem serem detectadas. Sob um governo rigidamente opressor (você acha que sofremos menos forças opressivas hoje com o FBI, ATF, etc.?), até mesmo células de 5 pessoas contém muitos familiares, dependentes, agregados, amigos, inquilinos/proprietários, sócios, etc... pendurados pelo pescoço que podem observar suas idas e vindas em "luas novas"... e que podem ser convencidos a falar. Skorzeny disse: "Uma matilha pode ser capaz de atacar sem medo e até mesmo deixar um banho de sangue pelo caminho, mas ela será rapidamente caçada. Um wehrwolf mata sozinho, caminhando no escuro, sem deixar testemunhas ou rastros de sua presença..." Skorzeny sabia do que estava falando. Você realmente acredita que qualquer "organização" abertamente racial seria permitida existir sem infiltração, listamento e disseminação de nomes, convivendo, sendo controlada de dentro por putas compradas e pagas, e, finalmente, enfrentando a vingança da "sociedade" contra seus membros? Agora, se eu realmente acredito na "autodefesa por execução preventiva" de nossos inimigos? Mas é claro! Considerando que eles vêm nos matando por décadas, com:

CristInsanidade: A Receita para Autodestruição da Raça Branca



Por Ben Klassen

Tradução: A White International



O problema com a maior parte das pessoas que dizem ser Cristãs é que elas nunca se deram ao trabalho de ler o Novo Testamento, do qual dizem se dedicar tanto. Aqueles que leram trechos não conseguiram juntar os pedaços e entender do que se trata. Enquanto eles estão devotamente viajando e tentando digerir um labirinto de impossíveis contradições e generalizações sem significado algum, também nunca suspeitam de que todo o propósito desse livro é confundir, dividir e desmoralizar a Raça Branca. (...)

Em Mateus 5:3, Cristo diz, "Abençoado seja o pobre de espírito, porque deles é o reino dos céus," e verso 5 "Abençoado seja o manso; pois ele herdará a Terra." De uma vez que a idéia de céu e inferno já foi engolida como se fosse real, então, claro, todos gostariam de ser "abençoados." Assim sendo, se você quiser ser "abençoado," você deveria desejar ser "pobre de espírito" e "manso". Enquanto esse tipo de pessoa seria, normalmente, o idiota da vila e o palhaço, agora ele é transformado no que será o futuro herdeiro da terra, e ele também irá ao reino dos céus, e não apenas isso, mas, acima de tudo, ele é abençoado. Todos nós sabemos o que as palavras "pobre de espírito" significam - elas significam que a pessoa é idiota, estúpida e ignorante. Agora a palavra "manso" não é tão bem definida na mente de uma pessoa normal, então vamos ao Dicionário Webster e ver o que significa. Webster nos dá três definições da palavra (1) "sendo paciente e agüentar sofrimento e danos sem ressentimento" (2) "deficiente de espírito e de coragem; submisso, amaciado" (3) "não-violento ou não-forte; gentil, moderado, fraco." E então nos dá o sinônimo - a palavra "humilde."

E ai você tem a descrição do tipo de pessoa que é mais desejada aos olhos do Senhor. Já que não nascemos todos desta maneira - estúpidos, ignorantes, imbecis, submissos e mansos -, deveríamos todos, é claro, tentar o nosso máximo para nos tornarmos o tal idiota da vila, porque, é claro, todos nós queremos ser "abençoados," não queremos?

Faces & Estétika

The Order: A Irmandade Silenciosa

The Order "Bruder Schweigen" foi formada por Robert Jay Matthews, em fins de setembro de 1983. Seu propósito era deixar de falar e atuar até conseguir o estabelecimento de um estado americano branco, no noroeste do Pacifico e, finalmente a vitória Ariana Total. Depois de décadas paradas, estes bravos homens arriscaram suas vidas para assegurar a existência de nossa gente e um futuro para as crianças brancas.

Em seu primeiro ano, The Order começou acumulando um fundo de guerra para sua própria Revolução, quando 3 dos membros, desapropriaram 369 dólares de uma locadora de pornografia, em Spokane, Washington. Imediatamente depois o grupo lançou uma operação de falsificação, no complexo da Aryan Nations, em Hayden Lake, Idaho, que foi desarticulado imediatamente, quando o membro, Bruce Carroll Pierce, foi preso por passar uma nota falsa de 50 dólares. Pierce foi condenado, mas fugiu da justiça e ficou na clandestinidade ate 1985. Antes do fim de 1983, Robert Mathews liberou fundos de um Banco de Seattle no valor de 25,000 dólares.

A obtenção de fundos aumentou no ano seguinte. Em março de 1984, membros da Ordem, distraíram a atenção da ação policial fazendo explodir uma bomba em um teatro de Seattle, enquanto outros membros assaltavam um furgão blindado estacionado fora de um armazém, apropriando-se de 500,000 dólares.

segunda-feira, 15 de março de 2010

Citações de Tom Metzger


Retiradas do programa de rádio The Insurgent (www.resist.com)
Tradução e Divulgação: A White International

INTRODUÇÃO

Tom Metzger, diretor da The Insurgent, ex White Aryan Resistance, atualmente é a principal voz dentro da Luta pela Raça Branca. Abandonou o conservadorismo de direita e o anticomunismo reacionário e abraçou a luta revolucionária; criticou e apontou os erros e a grande inutilidade de organizações com membros e divulgou a agitação local e o ativismo Lobo Solitário para uma ação direta e eficaz. Tom Metzer também é o ativista mais realista, enquanto diversos fetichistas e saudosistas preferem se fantasiar e marchar como se estivessem em Nuremberg, ele apontou os erros atuais dentro da sociedade em que vivemos, e não no passado. Denunciou as ações das multinacionais e grandes corporações e as expôs como alguns dos maiores inimigos de nossa Raça, que quase sempre são ignorados.
Sempre excêntrico e direto, como ele próprio diz, é “o cara mau da Luta”, muitas vezes irritando muitos outros Racistas, e até mesmo tendo sido chamado de bolchevique por denunciar os capitalistas Brancos como os maiores traidores raciais. Com muito humor, mas ainda sério e realista, acreditamos Tom Metzger ser a pessoa mais sábia da Causa.


''Divulgue mensagens na sua comunidade sobre os problemas dela própria. Se você não pode controlar nada aonde você mora, por que está interessado em controlar o mundo? Comece controlando o máximo coisas na sua área que você puder. Ou, pelo menos, agite (agitate). Eu agito todos os dias''.
-
''Quando um sistema, um governo ou uma raça se torna tão covarde, tão frágil, tão corrupta, a Natureza se livra dela. Talvez seja hora pra Raça Branca, mas não acho que seja hora para uma parte da Raça Branca, eu acho que uma parte dela vai se virar muito bem assim que colocar a Bíblia de lado e pegar ''Might Is Right''; assim que colocar a compaixão, liberalismo e toda essa baboseira de lado, pegar uma arma e caçar o inimigo''.
-
''A maioria dos Brancos são suínos no sentido que eles não escutam, tudo o que eles querem é materialismo, tudo o que eles querem é entretenimento, e eles te enlouquecerão se você tentar salvá-los. Tentar recrutá-los é uma perda de tempo. As condições contribuirão com os futuros líderes, esses líderes estarão conosco por causa das condições e por causa das ações do próprio governo. É dai que eles virão, não por causa de uma pequena marcha na esquina. Isso não vai lhe render praticamente nada, bem, talvez lhe renda alguns aventureiros que estarão com você por um tempo, alguns esquisitões loucos por uniformes, um pouco disso, um pouco daquilo... Bom, as pessoas vão atrás de uma nova onda o tempo todo''.
-
''Caia fora do molde conservador de direita''.
-
''Tudo que leva ao caos está do nosso lado''.
-
''A Raça Branca é o nosso maior problema, nossa própria raça nos colocou nessa situação. As outras raças não teriam nenhuma chance de nos derrotar se nós agíssemos corretamente, se tivéssemos bons líderes''. (Nota: aqui ele se refere a líderes natos da Causa, que também diz não existir no momento, não líderes de organizações)
-
''Quando você utilizar as regras deles pra vencê-los, eles te vencem todas as vezes''.
-
''O Capitalismo está nos abrindo o caminho, Capitalismo de monopólio, corporações internacionais estão pavimentando caminho para nós, eles estão acabando, e a idéia tribal, a nossa comunicação (network), o Lobo Solitário estão vindo. Aqueles que podem sobreviver, aqueles aprenderam a conseguir comida, a criar sua própria energia, vão sobreviver. Mas dezenas de milhares, talvez mais, vão morrer. Porque eles não sabem o que fazer''. -
"Eu entendo que eles estão tentando converter as massas, mas as massas são uma merda". (the masses are asses) (Sobre National Alliance, National Vanguard e organizações de membros em geral).